Início Site

O que fazer em dois dias no Porto

0
Praça da Ribeira, no Porto | Foto: João Ferrand
Praça da Ribeira, no Porto | Foto: João Ferrand

Escolhido o destino europeu de 2017, o Porto tem atrativos suficientes para preencher muitos dias de viagem. Mas, mesmo quem só tem 48 horas na cidade, ainda consegue conhecer os principais pontos turísticos e ter uma bela amostra do que o Norte de Portugal tem a oferecer.

Este é um roteiro para explorar o melhor da cidade Invicta em dois dias, com intervalos para aproveitar a paisagem e o melhor da gastronomia da cidade.

Manhã (9h às 13h): Baixa
Estação de São Bento

Estação de São Bento tem 20 mil azulejos |Foto: Giuliana Miranda
Estação de São Bento tem 20 mil azulejos |Foto: Giuliana Miranda

Ponto de partida do roteiro, a estação de São Bento é também porta de entrada para quem chega ao Porto de trem (ou comboio, em português de Portugal). O local já é, por si só, uma atração e tanto.

Construída no início do século 20, a estação é famosa pelos 20 mil azulejos que ornamentam seu átrio principal. Pintados pelo artista português Jorge Colaço, os quadradinhos de cerâmica retratam diversos pontos importantes da história de Portugal e também da evolução dos transportes no país.

Praça da Liberdade

Estátua de D. Pedro 4º de Portugal (o nosso Pedro 1º do Brasil) | Foto: Giuliana Miranda
Estátua de D. Pedro 4º de Portugal (o nosso Pedro 1º do Brasil) | Foto: Giuliana Miranda

Considerada o coração político da cidade, a praça foi durante séculos o local preferido de reunião de intelectuais e políticos.

Seu destaque é uma escultura de bronze de D. Pedro 1º (que em Portugal é conhecido como D. Pedro 4º), uma homenagem ao monarca que restaurou a constituição portuguesa após a revolta de Dom Miguel.

Antes de explorar a av. Dos Aliados, siga em frente.

Torre dos Clérigos

Torre dos Clérigos é um dos símbolos do Porto | Foto: Giuliana Miranda
Torre dos Clérigos é um dos símbolos do Porto | Foto: Giuliana Miranda

Um dos principais cartões-postais do Porto, a torre de estilo barroco foi projetada pelo arquiteto italiano Nicolau Nasoni e inaugurada em 1763. Quem vence os 225 degraus que levam até o topo é brindado com um visual espetacular.

A mais de 75 metros de altura, é possível ter uma perspectiva em 360º da cidade.

A entrada custa 4€ e há opções de ingressos combinados com outras atrações. Veja aqui as informações da bilheteria.

Av. dos Aliados

A impressionante arquitetura da av. dos Aliados | Foto: WikiCommons
A impressionante arquitetura da av. dos Aliados | Foto: WikiCommons

O conjunto arquitetônico desta parte da cidade merece parar para ser admirado. Como você já explorou a praça, suba a rua. Com vários edifícios de granito e detalhes elaborados, a via é conhecida como a “sala de visitas” da cidade. É nesta avenida que os moradores se reúnem para celebrar momentos importantes.

No topo da avenida fica o imponente prédio da Câmara Municipal (o equivalente à prefeitura)

Rua de Santa Catarina

Uma das artérias da cidade, a rua de Santa Catarina é o lugar perfeito para ver a movimentação de turistas e moradores. A via se destaca pela profusão de lojas.

Café Majestic

Café Majestic, na rua de Santa Catarina, é um dos mais elegantes do Porto | Foto: Giuliana Miranda
Café Majestic, na rua de Santa Catarina, é um dos mais elegantes do Porto | Foto: Giuliana Miranda

A essa altura, você já deve estar cansado e com vontade de tomar um cafezinho. Aproveite para fazer uma pausa no imponente Café Majestic, também na rua de Santa Catarina.

O edifício centenário em estilo art nouveau abriga um dos cafés mais tradicionais do país, que durante muitos anos foi ponto de encontro a alta sociedade. Além da louça impecável, vale prestar atenção ao pianista que se apresenta ao vivo no espaço.

Para quem gosta de doces, vale experimentar a rabanada.

Capela das Almas

Capela das Almas tem fachada de azulejos que contam a história de Santa Clara e São Francisco | Foto: Giuliana MirandaCapela das Almas tem fachada de azulejos que contam a história de Santa Clara e São Francisco | Foto: Giuliana Miranda
Capela das Almas tem fachada de azulejos que contam a história de Santa Clara e São Francisco | Foto: Giuliana Miranda

Também conhecida como capela de Santa Catarina, esta pequena igreja foi construída no século 18, mas só ganhou sua famosa fachada de azulejos em 1929. Os painéis contam a história de vida de São Francisco e de Santa Catarina.

Vale também visitar o interior da capela, onde está exposta a imagem de Nossa Senhora das Almas, também do século 18.

Francesinha

Francesinha do Café Santiago, uma das mais famosas do Porto | Foto: Giuliana Miranda
Francesinha do Café Santiago, uma das mais famosas do Porto | Foto: Giuliana Miranda

Para finalizar a manhã, a dica não é um lugar, mas sim um prato típico: a francesinha. Essa deliciosa bomba calórica é um dos símbolos da gastronomia da cidade e consiste, basicamente, em uma espécie de sanduíche com vários tipos de carne (linguiça, salsicha fresca, presunto [chamado de fiambre em Portugal], carnes frias e bife bovino ou lombo de porco fatiado) coberto com queijo derretido e molho a base de tomate.

Vários restaurantes servem o prato. Na região da Baixa, eu recomendo a do Café Santiago.

A generosa porção, acompanhada de batatas fritas, pode ser dividida (cobram taxa de 1€), e ainda alimenta duas pessoas sem tanta fome.

Tarde (14h às 18h): Ribeira
Ribeira: lado do Porto

Ribeira do Porto | Foto: Giuliana Miranda
Ribeira do Porto | Foto: Giuliana Miranda

Um dos pontos mais tradicionais da cidade, a área à margem do rio Douro é perfeita para caminhar sem pressa, aproveitando a bela paisagem e vendo o movimento dos visitantes.

Dica: evite almoçar nos cafés em frente ao rio. A maioria tem comida cara e sem grande expressão.

Quem gosta de história e tem mais tempo livre pode aproveitar para visitar o Palácio da Bolsa, uma suntuosa construção neoclássica de 1862, cujos salões fizeram parte dos principais eventos da elite do Porto no século passado. O salão árabe, com decoração mourisca, costuma receber apresentações de música clássica, conferindo uma aura ainda mais mística ao local.

Cruzeiro no Douro

Barcos rabelo fazem cruzeiros no Douro | Foto: Giuliana Miranda
Barcos rabelo fazem cruzeiros no Douro | Foto: Giuliana Miranda

O rio Douro é um dos maiores símbolos do Norte de Portugal e teve grande importância econômica na história do país, sendo a rota de escoamento do vinho do Porto.

Há diversas opções de passeios nas águas do rio. O chamado cruzeiro das 6 pontes, oferecido por várias empresas, tem uma boa relação custo benefício. Em cerca de uma hora, a embarcação —um barco rabelo, que era o usado para transportar os barris de vinho do Porto— percorre as principais pontes e dá uma bela noção da paisagem da cidade.

O preço varia entre 12€ e 15€ e dá direito a um cálice de vinho do Porto. Para garantir o melhor lugar no barco (nas pontas), vale chegar cedo. No inverno, os horários de saída podem ser reduzidos.

Ponte Luís I

Ponte D. Luís foi projetada por discípulo do arquiteto da torre Eiffel | Foto: Município do Porto
Ponte D. Luís foi projetada por discípulo do arquiteto da torre Eiffel | Foto: Município do Porto

Também conhecida como ponte D. Luís, ela é assinada por pelo engenheiro Teófilo Seyrig, discípulo de Gustav Eiffel. Leva-se menos de cinco minutos para cruzá-la a pé e, lá de cima, tem-se uma vista de tirar o fôlego.

Caves do vinho do Porto

Visita à cave da Sandeman | Foto: Giuliana Miranda
Visita à cave da Sandeman | Foto: Giuliana Miranda

Do lado de Vila Nova de Gaia, em frente ao rio, estão as famosas caves do vinho do Porto, onde a bebida ficava (e em muitos casos ainda fica) armazenada em barris. O passeio inclui visitar o complexo e, no final, dá direito a degustar a bebida.

Várias marcas oferecem o serviço, com visitas guiadas em português e outros idiomas. O passeio costuma custar cerca de 10€ por pessoa.

Noite

Rua Galeria de Paris, que concentra vários barzinhos | Foto: Município do Porto
Rua Galeria de Paris, que concentra vários barzinhos | Foto: Município do Porto

A vida noturna no Porto é animada e as baladas costumam esquentar mesmo lá pela 1h da manhã, como no resto do país. Pode-se começar com um drinque em um dos muitos barzinhos espalhados pelas ruas Galeria de Paris e pela paralela rua Cândido dos Reis.

Há ainda uma profusão de casas noturnas dedicadas a ritmos musicais tão distintos quanto reaggea e house até kizomba.

Dia 2 – Manhã (9h às 13h): Sé e Foz
Sé catedral

Sé Catedral, igreja-fortaleza da Idade Média | Foto: Associação de Turismo do Porto e Norte, AR
Sé Catedral, igreja-fortaleza da Idade Média | Foto: Associação de Turismo do Porto e Norte, AR

O passeio começa na histórica Sé catedral do Porto, que tem a aparência de fortaleza de muitos dos templos católicos da Idade Média.

O edifício de estrutura romano-gótica foi construído entre os séculos 12 e 13 e sofreu grandes remodelações entre os séculos 17 e 18. Além da arquitetura, vale apreciar os vitrais e as belas obras de arte.

Passeio de bondinho (eléctrico)

Eléctrico, o bondinho do Porto | Foto: Giuliana Miranda
Eléctrico, o bondinho do Porto | Foto: Giuliana Miranda

Os bondinhos (ou eléctricos, em português de Portugal) começaram a circular em 1872 e hoje há três linhas que circulam pela cidade.

A linha 1, também conhecida como linha da marginal, tem um trajeto simplesmente deslumbrante à beira do rio Douro.

O bilhete custa 3€.

Jardim do Passeio Alegre

Jardim do Passeio Alegre | Foto: Marisa Pinheiro/Visit Porto
Jardim do Passeio Alegre | Foto: Marisa Pinheiro/Visit Porto

Ponto final da linha 1 do eléctrico, este charmoso jardim foi construído no fim do século 19, com a participação do francês Emíle David. O locar é perfeito para um passeio sem pressa, ou mesmo um pique-nique nos dias ensolarados.

Há vários pontos de interesse no espaço, com destaque para a Quinta da Prelada, um chalet construído em 1874. Andes de ir embora, condira o prédio dos banheiros públicos: construído em 1910, eles são finamente decorados com azulejos Art Nouveau e acabamentos ingleses.

Tarde (14h às 18h): Beira-mar e Parque da Cidade
Caminhada à beira-mar

Região da Foz, à beira-mar | Foto: WikiCommons
Região da Foz, à beira-mar | Foto: WikiCommons

Espécie de calçadão do Porto, a avenida do Brasil fica estrategicamente posicionada margeando o oceano Atlântico, passando por várias praias.

O percurso é bastante agradável e há muitas opções de bares e restaurantes para aproveitar entre uma caminhada e outra.

Parque da Cidade

Parque da Cidade é o maior parque urbano de Portugal | Foto: Divulgação
Parque da Cidade é o maior parque urbano de Portugal | Foto: Divulgação

Hora de conhecer o maior parque urbano de Portugal. Com 83 hectares —um pouquinho mais do que a metade do tamanho do Ibirapuera, em São Paulo—, o complexo foi projetado pelo arquiteto Sidónio Pardal.

Há muita coisa para fazer e é uma ótima opção para gastar a energia das crianças.

Noite

Quem ainda tiver pique, pode aproveitar para conhecer a vibrante cena cultural do Porto.

Casa da Música tem programação cultural intensa | Foto: Visit Porto
Casa da Música tem programação cultural intensa | Foto: Visit Porto

A Casa da Música costuma reunir opções interessantes. Inaugurado em 2005, o edifício este moderno edifício, obra do arquiteto holandês Rem Koolhaas, é um dos símbolos da nova vida da cidade. Além de apresentações de corais e da Orquestra Sinfônica da Cidade, a casa promove sempre workshops e outras atividades. O prédio tem vários bares e um restaurante com uma vista deslumbrante em seu terraço.

O Coliseu do Porto tem na agenda shows de artistas conhecidos e, não raro, há apresentações de artistas também conhecidos no Brasil.

O que fazer em um dia em Évora (Alentejo)

0

Repleta de história, Évora, no coração do Alentejo, é perfeita para um bate-volta a partir de Lisboa ou para uma parada estratégica para quem vai ou volta do Algarve.

Compacto, o centro histórico da cidade —considerado patrimônio da humanidade pela Unesco (Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura)— pode, e deve, ser explorado a pé. Dá para conhecer as principais atrações em um dia fazendo tudo sem muita pressa, e com direito a paradas estratégicas para apreciar a vista e a deliciosa culinária alentejana.

1. Catedral de Évora

Catedral de Évora é um ótimo ponto de partida para explorar a cidade | Foto: Giuliana Miranda
Catedral de Évora é um ótimo ponto de partida para explorar a cidade | Foto: Giuliana Miranda

O ponto de partida do passeio é a Sé Catedral de Évora: um edifício imponente, com fachada em granito, em estilo românico-gótico (séculos 13 e 14).

É lá que está localizado o museu de Arte Sacra da cidade, que tem um impressionante acervo de esculturas, pintura e ourivesaria.

Quem não tiver problemas em se aventurar por vários lances de escada, encontra um belo prêmio no alto da torre da catedral: uma vista panorâmica sobre Évora e seu entorno.

2. Templo romano (templo de Diana)

Ruínas de templo romano são um dos cartões-postais do Alentejo | Foto: Giuliana Miranda
Ruínas de templo romano são um dos cartões-postais do Alentejo | Foto: Giuliana Miranda

A poucos metros da catedral está um dos pontos mais famosos de Évora: o templo romano. Construído no século 1, este tesouro é uma das construções do gênero mais bem preservadas da península ibérica.

Muita gente, inclusive entre os próprios portugueses, conhece o monumento erroneamente por templo de Diana, como se ele fosse uma homenagem à deusa romana da caça. Na verdade, o templo foi erguido para reverenciar o imperador Augusto, que era reverenciado como um deus.

Em frente ao templo há um belo jardim, perfeito para contemplar a vista da cidade ou simplesmente sentar e apreciar a beleza da construção romana.

Também há um simpático quiosque que serve bebidas e sorvetes. Um oásis no meio das altas temperaturas que atingem o Alentejo no verão.

3. Muralhas do castelo

Muralha medieval corta diversos pontos da cidade de Évora | Foto: Giuliana Miranda
Muralha medieval corta diversos pontos da cidade de Évora | Foto: Giuliana Miranda

Termine a manhã conferindo a beleza da arquitetura medieval do castelo da cidade, cuja construção foi iniciada no século 14.

4. Largo da Porta Moura

Largo Porta Moura | Foto: Digitalsignal/WikiCommons
Largo Porta Moura | Foto: Digitalsignal/WikiCommons

Construída há mais de 500 anos, esta fonte de mármore, decorada com algo que parece um globo terrestre, é mais um exemplar da riqueza arquitetônica da cidade.Inaugurada em 1556, a fonte foi desenhada pelo arquiteto Diogo de Torralva e era abastecida pelo Aqueduto das Águas de Prata.

Esta fonte renascentista está cercada de outros pontos de interesse.

Vale destacar, entre as torres da antiga Porta de Moura, uma imponente janela manuelina. Esculpida em mármore e granito da região, a janela teria pertencido à casa do escritor renascentista Garcia de Resende e sido construída no início do século 16.

5. Termas romanas

Fachada do prédio ca Câmara Municipal de Évora, onde estão localizadas as termas | Foto: Giuliana Miranda
Fachada do prédio ca Câmara Municipal de Évora, onde estão localizadas as termas | Foto: Giuliana Miranda

A região onde hoje está instalada a Câmara Municipal de Évora (equivalente da prefeitura) já funcionou como termas no período romano.Os vestígios das termas, que provavelmente foram o maior prédio público da Évora romana, foram descobertos em 1987. Eles remontam aos século 1 e 2.

Vestígios romanos ficam dentro da sede da câmara municipal | Foto: TripAdvisor
Vestígios romanos ficam dentro da sede da câmara municipal | Foto: TripAdvisor

6. Praça do Giraldo

Praça do Giraldo é o coração da vida social de Évora | Foto: Giuliana Miranda
Praça do Giraldo é o coração da vida social de Évora | Foto: Giuliana Miranda

A icônica praça do Giraldo é o coração da cidade e o centro da vida social.

Aproveite para apreciar a marcante arquitetura, com as características arcadas em quase todos os prédios.

A fonte e a igreja de Santo Antão, construídas no século 16, são o ponto de maior destaque da praça.

Depois de apreciar os cafés e as lojinhas locais, não deixe de passar no posto de informação turística para retirar, gratuitamente, seu mapa da cidade. Por lá também há uma providencial água geladinha e wifi grátis.

7. Igreja de São Francisco e Capela dos Ossos

Milhares de ossos e crânios humanos estão espalhados pelas paredes da capela | Foto: Giuliana Miranda
Milhares de ossos e crânios humanos estão espalhados pelas paredes da capela | Foto: Giuliana Miranda

Instalada na bela igreja de São Francisco, a Capela dos Ossos é provavelmente o ponto turístico mais conhecido de Évora.

Como o próprio nome já denuncia, ela tem seu interior revestido por partes de esqueletos humanos. Ela é dividida em três naves com cerca de 18,7 metros de comprimento e 11 metros de largura. Ao fundo, há ainda duas múmias.

Construída no século 17 por frades da região, a capela usa ossos humanos na ornamentação porque os religiosos queriam chamar a atenção para o caráter transitório e passageiro da vida.

São cerca de 5.000 crânios humanos, entre milhares de outros ossos.

Na entrada, fica a célebre inscrição “Nós ossos que aqui estamos pelos vossos esperamos”.

Confira aqui um post inteirinho sobre como é a visita à Capela dos Ossos

Além da capela, vale conhecer o resto da bela igreja de são Francisco, dos séculos 15 e 16, com destaque para o seu bem conservado claustro gótico. O museu da igreja tem ainda uma impressionante coleção de presépios: de variados estilos e de diferentes partes do mundo. Inclusive do Brasil.

Vista da nave central e do altar da igreja de são Francisco de Évora | Foto: Giuliana Miranda
Vista da nave central e do altar da igreja de são Francisco de Évora | Foto: Giuliana Miranda

8. Jardim Público

Ruínas fingidas: um dos monumentos icônicos d Jardim Público de Évora | Foto: WikiCommons
Ruínas fingidas: um dos monumentos icônicos d Jardim Público de Évora | Foto: WikiCommons

Perfeito para relaxar e descansar um pouco depois de bater perna pela cidade.

Além de frondosas árvores, o espaço espaço reúne várias atrações, com destaque para o palácio de d. Manuel, um magnífico coreto do século 19 e ainda vestígios da muralha medieval da cidade.

Outro ponto alto do parque são as chamadas Ruínas Fingidas. Elas têm esse nome porque não estavam originalmente daquela maneira. Trata-se de um agregado de ruínas recolhidas por diversas áreas de Évora.

O estilo predominante é o manuelino, o que dá uma aura de conto de fadas ao espaço.

Para completar o passeio, preste atenção nos muitos pavões que passeiam pelo parque.

9. Aqueduto da Água de Prata

Construção segue firme e forte quase 500 anos depois de terminada | Foto: Giuliana Miranda
Construção segue firme e forte quase 500 anos depois de terminada | Foto: Giuliana Miranda

pouquinho mais afastado dos outros, mas é uma construção verdadeiramente impressionante que vale o desvio, especialmente para quem está de carro.

Essa imponente obra construída entre 1533 e 1537 segue firme e forte quase 500 anos depois.

No passado, o aqueduto tinha um papel crucial no transporte de água para a cidade. Hoje, é uma belíssima paisagem de Évora.

5 praias para curtir o verão perto de Lisboa

0

Lisboa não tem praia, mas não é preciso ir muito longe para se refestelar na areia e curtir a brisa marítima.

Com ou sem ondas, badaladas ou mais tranquilas, há várias opções. E muitas delas são perto de estações de trem: ou seja, perfeitamente acessíveis para quem não está de carro.

Só tem um detalhe: a água do mar é normalmente bem mais fria do que no Brasil. Vá preparado!

1. Praia do Tamariz (Estoril)

Praia do Tamariz fica no Estoril, pertinho de Lisboa, e dá para chegar rapidamente de trem | Crédito: WikiCommons
Praia do Tamariz fica no Estoril, pertinho de Lisboa, e dá para chegar rapidamente de trem | Crédito: WikiCommons

A praia do Tamariz é uma das mais acessíveis: fica bem do lado da estação de trem (comboios, como se diz em Portugal) e tem rápida para Lisboa através de uma auto-estrada. Em cerca de 25 minutos chega-se ao centro da capital.

O Tamariz fica bem em frente ao famoso Cassino do Estoril, que inspirou o Cassino Royale dos livros da série James Bond e 007.

Há vários restaurantes e barzinhos no entorno, mas o preço não é dos mais convidativos. Também há a opção de alugar guarda-sol e espreguiçadeira.

2. Meco (Sesimbra)

Praia do Moinho de Baixo, na aldeia do Meco | Crédito: Câmara Municipal de Sesimbra
Praia do Moinho de Baixo, na aldeia do Meco | Crédito: Câmara Municipal de Sesimbra

Na margem Sul do Tejo, a praia do Meco talvez seja o point nudista mais famoso de Portugal, mas nem só de gente pelada vive essa região, que é também muito frequentada por famílias.

A área naturista é bem pequena e fica distante (e protegida dos olhares) da parte mais frequentada.

Distante cerca de 40 minutos de Lisboa, o lugar é mais aconselhável para quem vai de carro.

Foi eleita a terceira melhor praia de dunas de Portugal e tem a vantagem de ser tranquila e ter a água muito limpa.

Em termos de opções de restaurantes e serviços, a oferta é mais limitada. Por via das dúvidas: leve água e um lanchinho.

E tem mais: há um conhecido sítio paleontológico, com registros de fósseis de 150 milhões de anos, bem nas imediações. Há uma área com trilha demarcada para ver pegadas de dinossauros.

3. Portinho da Arrábida (Setúbal)

Praias da Arrábida foram escolhidas uma das maravilhas naturais de Portugal | Crédito: WikiCommons
Praias da Arrábida foram escolhidas uma das maravilhas naturais de Portugal | Crédito: WikiCommons

Essa é um pouco mais longe, fica a cerca de 50 km de Lisboa, mas com certeza vale o deslocamento.

Sua areia fininha, as águas com vários tons de azul e a vista da serra fazem da Arrábida um cenário digno de filmes paradisíacos. Não à toa, esta praia foi escolhida uma das sete maravilhas naturais de Portugal.

Inserido no Parque Natural da Serra da Arrábida, é um lugar excelente para ter contato com a biodiversidade e reúne boas condições para a prática de mergulho.

Quando estiver por aquela região, aproveite para conhecer o famoso mercado de Setúbal, conhecido pelos peixes e mariscos frescos.

4. Carcavelos (Oeiras)

Fim de tarde na praia de Carcavelos | Crédito: Giuliana Miranda
Fim de tarde na praia de Carcavelos | Crédito: Giuliana Miranda

É uma espécie de praia de Copacabana da linha de Cascais: animada, cheia de bares, sempre lotada. Há quem ame e quem odeie.

Fica pertinho da estação de trem e tem bons acessos de carro pela via expressa. Em 20 minutos, vai-se de Lisboa até lá. Nos fins de semana (e até em alguns dias úteis mais quentes do verão), achar um lugar para estacionar é um tarefa ingrata.

Apesar da água fria, é um bom local para ir com as crianças: há uma boa estrutura comercial, chuveiros e salva-vidas espalhados.

5. Azenhas do Mar (Sintra)

Azenha do Mar: belas paisagens debruçadas no Atlântico | Crédito: WikiCommons
Azenha do Mar: belas paisagens debruçadas no Atlântico | Crédito: WikiCommons

Apesar da beleza e da proximidade de Lisboa, ainda é relativamente preservada. O maior atrativo é a vista espetacular de sua falésia e a charmosa vila que está literalmente debruçada sobre o Atlântico.

A melhor opção de acesso é de carro, e é bem aconselhável levar um GPS, uma vez que a sinalização é um pouco deficiente.

Em termos de infraestrutura, há alguns restaurantes e bares no entorno, mas as opções são limitadas. Quem gosta de peixes, mariscos e frutos do mar não terá problema em achar algo apetitoso.

Porto Cruz Terrace Lounge 360º: drinks criativos com uma vista espetacular

0
Vista maravilhosa do espaço Porto Cruz, em Gaia | Foto: Giuliana Miranda
Vista maravilhosa do espaço Porto Cruz, em Gaia | Foto: Giuliana Miranda

Em pleno burburinho turístico das margens do rio Douro, do lado de Vila Nova de Gaia, há um ótimo lugar para experimentar algumas receitas criativas que têm o vinho do Porto como protagonista.

O Porto Cruz Terrace 360° tem uma vista espetacular das coloridas casinhas da ribeira do Porto. A localização esplêndida, bem em frente ao rio, do ladinho do teleférico, já valeria a visita.

Poucos brasileiros sabem, mas o o vinho do Porto pode ser degustado não apenas sozinho: a bebida é um ótimo ingrediente para a confecção de diversos tipos de drinks.

Porto Cruz tem sofás convidativos no verão | Foto: Divulgação
Sofás convidativos no verão | Foto: Divulgação

Há opções para a todos os gostos e algumas agradam em cheio quem não aprecia o paladar adocicado da bebida.

Em todo caso, também dá para degustar uma tacinha “convencional”.

Quem quiser ousar, deve experimentar o Porto Sour, versão com vinho do Porto do clássico whiskey/Pisco Sour. Refrescante, é uma delícia no verão.

Mas os drinks são realmente interessantes, apesar de mais caros do que a média da cidade.

Na minha última visita, fiquei com o de frutos do bosque (o jeito luso de dizer frutas vermelhas) e porto ruby. Uma delícia.

Drink de frutas vermelhas é super-refrescante | Foto: Giuliana Miranda
Drink de frutas vermelhas é super-refrescante | Foto: Giuliana Miranda

Serviço

Porto Cruz Terrace 360°
Horários: Maio a Setembro, Almoço disponível no Terrace Lounge 360º, das 12:30H às 15H.
Das 15H às 19H – Carta de petiscos.

World of Discoveries: navegando pelos descobrimentos portugueses!

0

World of Discoveries, Porto, PortugalAproveitei um fim de semana de chuva para ir conhecer o World of Discoveries, no Porto. Este museu interativo e parque temático explora todas as navegações portuguesas: desde as embarcações, vida a bordo, personagens até os locais explorados, como África, Índia, China e Brasil. Uma verdadeira (e incrível) imersão na história de Portugal, imperdível para …

The post World of Discoveries: navegando pelos descobrimentos portugueses! appeared first on Trend Tips | Fashion and Travel.

Portugal aprova mudança de gênero para jovens a partir dos 16 anos

0

O Parlamento de Portugal aprovou, na última sexta (13), uma lei que permite a mudança de gênero de jovens a partir de 16 anos.

O texto ainda precisa ser sancionado pelo Presidente português, Marcelo Rebelo de Sousa, mas  foi comemorado com aplausos por deputados e pessoas que assistiam à votação na Assembleia da República.

Pela nova lei, jovens a partir dos 16 anos já podem mudar de gênero e alterar o nome que consta nos documentos do registro civil.

Não é necessário nenhum relatório médico para efetuar as mudanças.

Os jovens até os 18 anos, no entanto, precisam da aprovação dos pais para prosseguirem com as alterações.

Outro ponto do diploma aprovado proíbe, com excessão de “situações de comprovado risco para a saúde”, que sejam feitas cirurgias ou tratamentos farmacológicos impliquem alterações do corpo ou características de bebês e crianças intersexuais.

A intersexualidade —que segundo especialistas afeta entre 0,05% e 1,7% da população mundial— é um espectro amplo em que as pessoas nascem com características que não se enquadram nas noções típicas de um corpo masculino ou feminino.

REAÇÕES

A lei foi aprovada, mas o Parlamento estava dividido.

Votaram a favor as bancadas do Partido Socialista e do Bloco de Esquerda, além dos deputados do PEV e do PAN. O Partido Comunista de absteve.

Já os partidos de direita, CDS-PP e PSD, votaram contra o texto.

A deputada Vânia Dias da Silva, do CDS-PP, foi uma das vozes contrárias.

“Votamos contra porque consideramos que pessoas que aos 16 anos não podem votar ou não podem beber álcool não devem poder tomar uma decisão com consequências tão definitivas na vida de um menor”, afirmou.

Nesta segunda (16), a Associação dos Médicos Católicos Portugueses divulgou uma nota em que critica a lei e pede que o Presidente da República vete o texto.

Católico praticante, Rebelo de Sousa ainda não se manifestou sobre o assunto.

Mais Ora Pois

Look at Porto!

0

Vhils no Look at Porto, PortugalQue tal conhecer o porto de uma maneira diferente: através de um cinema 5D? O Look at Porto é um filme que proporciona uma experiência imersiva: as cadeiras se mexem, tem vento, toque, cheiro… O tema? A linda cidade do Porto, claro! O encantamento começa antes de entrar: a fachada tem uma obra do Vhils, …

The post Look at Porto! appeared first on Trend Tips | Fashion and Travel.

Brasileiros são os que mais se naturalizaram em Portugal em 2016

0

O gabinete de estatísticas da União Europeia divulgou seus números mais recentes relativos às novas cidadanias concedidas nos 28 países analisados. Entre eles, Portugal tem a terceira maior taxa de naturalização —relação entre cidadanias concedidas e a população estrangeira total no início de cada ano—, atrás apenas da Croácia e da Suécia.

Os brasileiros lideram a lista de naturalizações no país se Camões, respondendo por 31,7% de todos as cidadanias concedidas.

Ao todo, 7.800 brasileiros se tornaram portugueses em 2016, uma alta de 23,8% em relação a 2015, quando cerca de 6.300 brasileiros se tornaram também cidadãos de Portugal.

Ao todo, 21,5 mil brasileiros pediram a cidadania de algum dos 28 estados analisados, o que nos coloca como a décima nacionalidade que mais fez este tipo de requisição.

A lista, no entanto, é liderada com folga pelos marroquinos, com 101,1 mil naturalizações. Albânia e Índia completam o top 3, com 67,5 mil e 41,7 mil novos europeus, respectivamente.

Entre os brasileiros que pediram cidadania europeia em 2016, 36,6% adquiriram a nacionalidade portuguesa, seguidos por 27% na Itália e 15% na Espanha.

MAIS EUORPEUS

O novo relatório revelou que, após dois anos de queda, as concessões de nacionalidade voltaram a subir na UE em 2016, com quase 1 milhão de novos europeus.

As 994.800 nacionalidades concedidas representam uma alta de 18% com relação ao ano de 2015.

Mais Ora Pois

Surto de sarampo já contaminou mais de 80 em Portugal

0

Portugal passa em 2018 pelo pior surto de sarampo em mais de uma década. Até esta sexta (30), já foram confirmados 84 casos da doença em todo o país. Há outros 19 sob investigação.

Segundo a Direção Geral da Saúde do país, 71 doentes já estão curados, e apenas um permanece internado.

A maioria dos casos está de alguma forma ligada ao Hospital de Santo António, no Porto, mas já há casos isolados em outros pontos do país, inclusive na capital, Lisboa.

No ano passado, o país já havia enfrentado um surto, mas de menores proporções. Após três anos sem ter nenhum caso de sarampo, em 2016 Portugal voltou a registrar a doença. Foram 29 infecções. Uma jovem de 17 anos, que não havia sido vacinada, acabou morrendo.

O aumento dos casos de sarampo fez ressurgir no país a discussão sobre a obrigatoriedade das vacinas no país.

O debate sobre a obrigatoriedade da imunização, aliás, tem acontecido em boa parte do continente europeu, onde a doença voltou a crescer em 2016 e 2017, além de seguir em expansão também neste ano.

Mais Ora Pois

 

 

 

Abril em Lisboa: programe sua temporada na cidade

0

Abril é o mês que marca o início da temporada de verão em Lisboa. Ainda que o tempo permaneça instável – é possível alternar dias de praia com dias de chuva – só o fato de o horário de verão estar em vigor já muda o ânimo da cidade. Há mais eventos, música e vida nas ruas. Se você vai estar em abril em Lisboa, esses são alguns programas que não pode deixar de fazer.

O que fazer em Lisboa. Descubra o essencial da cidade

Descobrir a nova cena eletrônica. Em mais uma edição que tem como palco principal os armazéns da LX Factory, o Lisboa Electronica é ‘O’ evento para quem quer ficar por dentro do que acontece nessa cena em Portuga e no mundo. Neste festival, os selos de música é quem dão as cartas. Ou melhor, definem o line-up organizando showcases para seus melhores e mais promissores talentos. De 4 a 7 de abril, o Lisboa Electronica também ocupa o Ministerium Club com festa e o teatro Capitólio, com palestras e debates.

Sala de jantar do Rio Maravilha. Foto: Facebook / Rio Maravilha

Ver o pôr-do-sol num bar cool. Abril é a época perfeita para aproveitar o fim de tarde num bar bacana: a cidade ainda não está tomada por turistas, então os bares estão mais vazios; o horário de verão já começou, então o pôr-do-sol acontece lá pelas 19h, o que não atrapalha seus planos turísticos; a temperatura já subiu um pouquinho e fica mais agradável estar ao ar livre. Se essa é sua ideia, algumas boas opções são o Rio Maravilha, que passa a ter programação musical nos fins de semana (inclusive com roda de samba); o Park, que ainda não está superconcorrido; ou o Sky Bar, do hotel Tivoli, que tem uma vista incrível para a Baixa lisboeta.

Provamos (e nos surpreendemos com) o novo menu do restaurante Panorama, em Lisboa

Conhecer a celebração do 25 de Abril. O 25 de abril é ‘O’ feriado nacional português. É a data que marca a Revolução dos Cravos, fim da ditadura do Estado Novo e retomada da democracia em Portugal, em 1974. É um dia de celebração no país todo, com bonitas manifestações nas ruas. Em Lisboa o epicentro da comemoração é a Avenida da Liberdade, que é tomada por uma imensa marcha de diversos grupos, em defesa da liberdade.

Veja também a agenda cultural de abril em Lisboa.

O chef Kiko Martins participa do Peixe em Lisboa. Foto: Facebook / Peixe em LisboaO chef Kiko Martins participa do Peixe em Lisboa. Foto: Facebook / Peixe em Lisboa

PEIXE EM LISBOA

Peixes e mariscos são as estrelas desse festival gastronômico que reúne alguns dos melhores restaurantes especializados para degustações ao público, mas não só. O evento oferece ainda aulas de cozinha, apresentações de chefs portugueses e estrangeiros, harmonizações enogastronômicas e mercado gourmet. Este ano os chefs Kiko Martins e Alexandre Silva (do ousado Loco), estão entre os nomes confirmados.

Onde: Pavilhão Carlos Lopes. Parque Eduardo VII, Lisboa, Portugal.
Quando: De 5 a 15 de abril

INDIE LISBOA

São 11 dias de Festival de Cinema Independente e 245 filmes para descobrir nessa 15ª edição do evento. Dividido em mostras competitivas ou não que contemplam diversos tipos de público, como a IndieJúnior, voltada para espectadores mais novos; a IndieMusic, que reúne filmes sobre música; e a Boca do Inferno, onde o foco está em temas polêmicos e desconfortáveis. O Indie Lisboa promove sessões no Cinema São Jorge, Culturgest, Cinema Ideal, Cinemateca Portuguesa e Biblioteca Palácio Galveias.

Onde: Diversos endereços
Quando: De 26 de abril a 6 de maio

Sicilian Ghost Story, na Festa do Cinema Italiano. Foto: ReproduçãoSicilian Ghost Story, na Festa do Cinema Italiano. Foto: Reprodução

FESTA DO CINEMA ITALIANO

O festival de cinema italiano chega à 11ª edição com mais de 60 filmes na programação, entre curtas, longas e documentários. A festa extrapola os limites das salas de exibições com uma série de eventos paralelos, que vão de exposições a festas e até criações de pratos especiais em restaurantes e sorveterias que representam a comida italiana em Lisboa.

Onde: Diversos endereços. Confira a programação.
Quando: 4 a 12 de abril

MERCADO DO VINHO

Se você precisa de uma boa desculpa para esticar sua temporada em Lisboa até Cascais, aqui está. O Mercado da Vila de Cascais organiza um mercado do vinho com produtores de diversas regiões do país. Além de vinhos, também será possível provar petiscos portugueses no espaço.

Onde: Mercado da Vila de Cascais. Rua Padre Moisés da Silva s/n°, Cascais, Portugal
Quando: 27 a 29 de abril

Quer saber mais sobre o que visitar em Lisboa? Entre em contato e saiba como ter um guia de Lisboa personalizado, com o Almost Locals Experience.

Comments

comments